Atividades

Parque Ecológico Imigrantes no Batimat 2011 em Paris

Da esquerda para a direita: srs. Antonio Rosa Neto, Tânia Regina Parma, representante do Batimat e Newton Massafumi Yamato.

A edição 2011 do BATIMAT, salão Internacional da construção, registrou um importante crescimento do número de visitantes chave, como: arquitetos, engenheiros, escritórios de projetos e cálculos, bem como empresários e micro-empresários. Foram 351.748 (trezentos e cinqüenta e um mil, setecentos e quarenta e oito) visitantes dentre eles inúmeros estrangeiros presentes desde a abertura da mostra. Do total 81% eram franceses, sendo que 62% destes franceses vieram do interior e 38% da região de Paris.

A participação de visitantes estrangeiros, vindos de mais de 130 países, atingiu 19% e cresceu 10% em relação à edição 2009. Com uma maior presença de visitantes vindos do Brasil. 1.448 participantes vieram da Alemanha e da Rússia. O número de visitantes vindos dos países da União Européia manteve-se estável com relação a edição passada.

Sete setores estavam presentes no Batimat Paris 2011: trabalho estrutural, carpintaria, máquinas e equipamentos, veículos e equipamentos, instalações, serviços e TI – Tecnologia da Informação.

Como convidado de honra da mostra, o Brasil levou à feira projetos de construção relacionados à Copa de 2014, aos Jogos Olímpicos de 2016 e também focou na construção inteligente e sustentável, como no caso do Parque Ecológico Imigrantes – PEI que foi apresentado pelo Presidente da Fundação Kunito Miyasaka, idealizadora do projeto, – sr. Antonio Rosa Neto, e os arquitetos srs. Newton Massafumi Yamato e Tânia Regina Parma, da Gesto Ambiental – arquitetura e urbanismo.

Segundo o Sr. Antonio Rosa, é uma grande honra participar e poder expor o projeto do Parque Ecológico Imigrantes na maior feira de construção do mundo, a grandeza do evento e os projetos presentes impressionam. Após a apresentação houve uma grande manifestação de admiração e interesse pelo nosso trabalho.

Para Tânia e Newton – arquitetos da Gesto Ambiental, o fato de sido o único projeto certificado pelo processo AQUA (Alta Qualidade Ambiental) durante as palestras do ‘Encontro dos Arquitetos’, uma seção dedicada a projetos brasileiros, o Parque se diferenciou pela abordagem das questões ligadas à sustentabilidade, se destacando com o conceito e base para o desenvolvimento das demais etapas do projeto.

A Fiesp – Federação das Indústrias de São Paulo, a Brasil UBIFRANCE e a Embaixada do Brasil na França, apresentaram o estudo “Construbusiness – O Brasil em 2022″, um seminário internacional sobre o mercado brasileiro e projetos que possam interessar às empresas francesas.

Nas apresentações brasileiras, a Ministra do Planejamento Miriam Belchior e o presidente da Fiesp Paulo Skaf. Miriam, em especial, foram muito assediados pelos franceses interessados no ambiente de negócios do Brasil. Outro painel de destaque trouxe Sérgio Watanabe, presidente do Sinduscon que, entre vários dados, apresentou um crescimento do emprego de 1,5 milhão em 2001, para 3,2 milhões em 2011, trazendo hoje uma taxa de desemprego no setor de 2,3%, o que, num cenário de crise européia é muito bem-visto. A edição de 2011 do evento foi focada nas questões da eficiência energética e acessibilidade.

Na França, os edifícios públicos e residenciais já existentes deverão se adequar às exigências da nova lei de acessibilidade até janeiro de 2015. Além disso, a partir de 1º de janeiro de 2013, as licenças de construção para novas habitações devem atender a padrões de baixo consumo de energia. Neste contexto, para muitos, a feira é a oportunidade de expor e encontrar novas ideias e produtos sustentáveis. Dos 813 novos produtos expostos, uma grande parte está ligada a questões de eficiência de energia.